Nutrição 4P: saiba como ela pode te ajudar

0
312

Uma em cada cinco pessoas no País está acima do peso. Os dados do Ministério da Saúde são alarmantes. O crescimento da obesidade tem colaborado para o aumento de doenças como a diabetes e hipertensão. Para atuar na prevenção dessas doenças é que notamos a criação de um movimento chamado Medicina 4P (preditiva, preventiva, personalizada e participativa). Venha descobrir como ela pode te ajudar.

 

As doenças crônicas, em especial a obesidade, os problemas cardiovasculares e o câncer, representam enormes desafios para a nossa sociedade. As projeções são bastante preocupantes e indicam aumento drástico de novos casos e mortes associadas nas próximas décadas, principalmente nos países em desenvolvimento como o Brasil.

 

É nesse cenário que entra a medicina 4P. O conceito de 4P está totalmente alinhado à nutrição. E a alimentação tem um importante papel na prevenção das doenças crônicas. Nos estágios iniciais do continuum saúde/doença, as alterações metabólicas, celulares, bioquímicas e genômicas são sutis e passíveis de serem normalizadas pela atuação de nutrientes e compostos bioativos dos alimentos. É preciso esclarecer que eles apresentam uma potência mais baixa e uma menor seletividade quando comparados a medicamentos.

 

Além disso, o aspecto de personalização — bastante incorporado na medicina — também vem sendo considerado na nutrição. Já há até um campo de estudo para isso, a nutrigenômica. Calma, se você nunca ouviu falar deste termo vamos explicar.

 

Esse aspecto se baseia na constatação de que duas pessoas que ingerem a mesma refeição podem apresentar respostas metabólicas e genéticas bastante distintas. Fatores que podem influenciar essa variabilidade individual e o próprio risco para determinadas doenças incluem os genes de cada um e o conjunto de micro-organismos que vive no aparelho digestivo.

 

As pesquisas atuais investigam como essas características interferem com o estilo de vida, no sono e na atividade física. Com certeza você já vivenciou isso na pele? Comeu um alimento que não caiu muito bem, mas o seu amigo que comeu a mesma coisa não sentiu nada.

 

Interação com o paciente

Finalmente, temos o lado participativo do conceito 4P, e que é bastante relevante para a alimentação. Se por um lado temos cidadãos mais proativos e informados, por outro temos de lembrar que o acesso disseminado às notícias e orientações sobre saúde e alimentação na internet e nas redes sociais nem sempre leva a informações consistentes do ponto de vista científico.

 

É essencial que nós, nutrólogos, reconheçamos essa tendência de mudança de atitude do paciente, que hoje até pode discutir as condutas prescritas no consultório, para criar uma interação mais participativa e efetiva.

 

Ao incorporar o modelo dos 4Ps na área da alimentação, estimulamos a mudança de paradigma na atenção em saúde e podemos contribuir para que tenhamos uma maior ênfase na prevenção e no indivíduo.

 

Quer incorporar esse conceito na sua vida? Agende uma consulta com um nutrólogo, que é o profissional habilitado para criar um cardápio que atenda todas as suas necessidades nutricionais.
Compartilhe nosso artigo com os amigos!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here