5 doenças que podem ser evitadas com boa alimentação

2419

Muito se tem falado sobre alimentação saudável e seus benefícios para uma vida melhor. Mas, com a correria do dia a dia, os planos de seguir refeições balanceadas vão sendo adiados, vindo à tona só quando alguma doença resolve dar “oi” para o organismo.

Eis a verdade: comer é uma das melhores coisas da vida. Além de saciar a fome, preenche nosso corpo de nutrientes, como vitaminas, proteínas e sais minerais, possibilitando seu fortalecimento e vitalidade.

No entanto, sabe o ditado “somos o que comemos”? É isso. Nosso corpo responde a tudo o que colocamos pra dentro, não apenas na questão do controle de peso, mas, também, na prevenção de uma série de enfermidades.

Aliar atividade física e boa alimentação reduz uma série de problemas de saúde, bem como ajuda na diminuição de índices de mortalidade. Por isso, relacionei nesse post cinco doenças que podem ser evitadas com a inclusão de dietas balanceadas:

1 – Osteoporose

Essa é uma condição que deixa os ossos frágeis e porosos, comum em mulheres acima dos 45 anos mas que atinge, também, o público masculino. A doença avança com o passar idade e aumenta o risco de fraturas no quadril, costela e colo do fêmur.

Mas, com uma boa alimentação, é possível retardar ou até mesmo evitar essa patologia e manter uma rotina mais dinâmica.

A ingestão de cálcio é a saída para a renovação óssea do corpo humano. O recomendado é cerca de 1000 miligramas por dia de produtos lácteos, como leite, iogurtes e queijos em que o nutriente é mais abundante. O nutrólogo não liberou essas opções? Tudo bem: você pode encontrar alto teor de cálcio nos brócolis e folhas de cor verde-escuras.

2 – Anemia

Dentre os vários tipos de anemia, a que provoca carência de ferro no organismo é a mais comum. Esse importante nutriente participa na produção de glóbulos vermelhos do sangue, auxiliando no transporte do oxigênio por todo o corpo.

A falta de ferro no organismo causa uma série de sintomas, como fadiga, falta de apetite, falhas na memória, taquicardia, palidez e apatia. Em crianças, a anemia afeta o desenvolvimento psicomotor, o processo de aprendizado e a concentração.

Uma dieta rica em ferro previne esses males e deixa o paciente com mais disposição. O nutriente está presente nas carnes vermelhas, couve, brócolis, espinafre e outros folhosos verde-escuros, além de nas frutas, legumes e cereais integrais.

3 – Doenças cardiovasculares

Doenças cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e os vasos sanguíneos, tais como angina, infarto agudo no miocárdio, arritmia cardíaca e aneurisma da aorta, dentre outras patologias.

O risco é real para homens e mulheres que tenham colesterol alto, diabetes, pressão alta e hábitos de vida e alimentares considerados pouco saudáveis.

Estima-se que muitas doenças cardiovasculares possam ser evitadas com prática de exercícios físicos, controle da pressão e dieta balanceada com frutas, verduras, legumes e cereais, evitando excesso de sal e gorduras, principalmente as saturadas, como as das frituras.

4 – Obesidade

A obesidade se caracteriza pelo excesso de gordura no organismo e pode colocar a vida do paciente em risco. No Brasil, mais de 20 milhões de pessoas são obesas, tendo como causa principal a alimentação inadequada e excessiva.

Vale lembrar que ser obeso não é ser somente gordo ou acima do peso. A condição está relacionada ao desencadeamento de uma série de outras doenças que deixam o indivíduo a cada dia mais vulnerável, como doenças do coração, apneia, artrite, pressão alta e derrame.

As causas para a obesidade podem ser genéticas, psicológicas e ambientais. Contudo, uma dieta pobre em calorias e rica em nutrientes contribui para evitar ganho de peso e desenvolvimento de patologias.

5 – Colesterol alto

O colesterol é um tipo de gordura que se apresenta naturalmente no organismo. Ele compõe a membrana celular presente no coração, fígado, intestino, pele, cérebro, nervos e músculos, além da formação de hormônios e ácidos biliares.

No entanto, o excesso dessa gordura pode trazer sérias complicações ao organismo, como a incidência de doenças cardiovasculares. O aumento do colesterol pode estar ligado a muitos fatores, dentre eles a má alimentação, principalmente com a ingestão de embutidos e gorduras.

Ter refeições mais leves e balanceadas, à base de frutas e verduras, ajuda a reduzir os níveis de colesterol no organismo.

 

Para ter uma boa saúde, é indispensável dispor de uma dieta personalizada, elaborada especialmente para você. Afinal, cada organismo é único e contém uma série de especificidades que apenas um médico especializado, como o nutrólogo, tem condições de avaliar.

Aqui no Instituto Ferreira Mattos fazemos todos os exames para adequar a dieta ao paciente e garantir que ela dê o suporte necessário para a melhora das condições de saúde.

Quer evitar as enfermidades desse post e tantas outras, causadas ou potencializadas pela má alimentação? Entre em contato e agende sua consulta!

Deixe uma resposta