Fígado e dieta: o que uma coisa tem a ver com a outra?

0
476

Você já deve ter percebido que os exageros alimentares que cometemos comumente fazem o fígado gritar. Acontece que tudo que ingerimos e que, muitas vezes, é pouco saudável passa pelo crivo desse órgão.

Vou explicar melhor para que fique clara essa relação: o fígado, dentre suas variadas funções, é muito importante para a digestão, por ser responsável por metabolizar certas substâncias, como o álcool, que já foram absorvidas pelo organismo. Imagine, então, o esforço que esse órgão tem que fazer depois de um final de semana regado a churrasco com bastante gordura e bebida alcoólica!

Os exageros podem trazer sérias consequências ao fígado, já que a gordura pode se acumular e provocar a esteatose hepática.

O que é esteatose hepática?

Essa é uma doença que se caracteriza pelo acúmulo de gordura nas células do fígado. Se não tratada corretamente, a esteatose hepática pode provocar uma inflamação capaz de chegar a quadros mais graves, como hepatite gordurosa, cirrose hepática e até câncer no fígado.

Em casos muito críticos, em que o fígado não só aumenta de tamanho mas, também, adquire um aspecto amarelado, o transplante pode ser a única saída. Mas outros sintomas também costumam aparecer, tais como dores de cabeça, barriga inchada, fraqueza, dor no abdômen e perda de apetite.

O excesso de gordura dos alimentos não é a única causa para essa enfermidade. Veja outros fatores:

  • Consumo excessivo de álcool;
  • Volume maior de ingestão diária;
  • Qualidade dos alimentos;
  • Estilo de vida inadequado;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Sobrepeso;
  • Diabetes;
  • Pressão alta;
  • Inflamações crônicas no fígado.

Outro vilão que prejudica muito o organismo é o tabagismo. Embora esse hábito não leve gordura ao fígado, o cigarro prejudica a sua capacidade de recuperação. Isso acontece porque o ato de fumar impede a oxigenação das células ao levar fumaça para todos os tecidos do corpo.

Por isso, é sempre bom ficar de olho nesse órgão, pois as patologias que acometem o fígado são, na maioria das vezes, silenciosas. Existem muitos pacientes que são diagnosticados com cirrose, por exemplo, que nunca sentiram nenhum sintoma característico da doença.

No entanto, o quadro de esteatose hepática pode ser reversível e tratada com medicamento; contudo, é a mudança de hábitos que, muitas vezes, pode ser o suficiente para reverter a situação do paciente.

Fique de bem com o seu fígado

Se você tinha dúvidas sobre a conexão do fígado com a dieta, lembre-se disso: o bom funcionamento do órgão está intimamente ligado ao que você come. Uma alimentação correta é fator decisivo para combater a gordura no fígado, tratando das dietas para além do “só emagrecer”.

Estar em boa forma física é o sonho de muita gente, mas esse não é o único benefício da reeducação alimentar. Ao comer bem, você estará proporcionando ao seu organismo um cuidado ao sistema digestivo, que é todo integrado e necessita ter todos os órgãos em perfeito funcionamento para te manter vivo/a.

Por amor ao fígado, procure fazer refeições mais saudáveis. Evite não só a gordura, mas, também, os carboidratos e a farinha branca, e prefira sempre porções menores no seu prato.

Outra dica que não pode faltar é a prática de exercícios físicos, já que uma rotina não-sedentária é ótima para a prevenção de problemas hepáticos. Portanto, vá à academia, pratique natação, bicicleta, dança… até mesmo uma caminhada já começa a resolver muitos casos.

Se você ainda tem dúvidas em relação às patologias que agridem o fígado ou suspeita de que algo errado esteja acontecendo no seu organismo, não perca tempo: procure um nutrólogo para fazer a avaliação clínica.

Eu estou pronto para te atender aqui, no Instituto Ferreira Mattos, pedir os exames necessários para verificar seu sistema digestivo e dar todo o suporte para que você fique com a saúde em dia.

Entre em contato com a gente e marque sua consulta!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here