O que é dieta cetogênica?

826

Com o objetivo de perder peso e manter a saúde em dia, muitas pessoas fazem restrições alimentares. Inúmeras modalidades de dieta são procuradas, aplicadas e, também, criadas por especialistas. A última moda nesse quesito é a dieta cetogênica, que tem como objetivo reduzir drasticamente o carboidrato das refeições.

Essa estratégia de emagrecimento é a queridinha do momento, causando enorme aderência ao plano alimentar. Mas, apesar de estar em alta agora, essa dieta não é tão recente assim: ela surgiu em 1920, como tratamento para a epilepsia, mas ganhou popularidade ao longo do tempo pela sua eficiência na perda de peso.

Como funciona a dieta cetogênica?

Em muitas dietas o carboidrato é a principal fonte de calorias, seguido pela proteína e, por último, as gorduras. Na cetogênica, o método é invertido. Ou seja, a fonte energética é a gordura, seguida por proteína e pela ingestão mínima de carboidrato.

Funciona assim: quando se reduz o carboidrato, principal fornecedor de glicose da alimentação, que atua levando energia para as células, o organismo começa a queimar outras fontes de combustível – como a gordura, o nutriente mais ingerido na dieta cetogênica.

Ou seja: para compensar a redução de carboidratos, deve-se gerar um aumento no consumo de gorduras, tais como abacate, coco, azeite, creme de leite, amendoim, nozes, amêndoas, castanhas e sementes. Além disso, o consumo de proteína deve constituir cerca de 20% da alimentação, através da ingestão de carne de boi, frango ou peixe, além de ovos e queijos.

Todo o processo usa a gordura corporal e dá origem aos corpos cetônicos, moléculas que interferem nos hormônios envolvidos no apetite.

É conveniente reforçar que, no início dessa dieta, muitas pessoas podem sentir cansaço excessivo, dores de cabeça e até desânimo. Esses sintomas são comuns e acontecem no período de adaptação do organismo, no qual o corpo se prepara para produzir energia através da gordura, e não dos carboidratos.

Benefícios da dieta cetogênica

A dieta cetogênica traz outros benefícios além da perda de peso. Veja alguns deles:

  • Reduz a pressão arterial;
  • Auxilia na perda de gordura abdominal;
  • Aumenta os níveis de HDL;
  • Controla o açúcar no sangue;
  • Diminui os sintomas da síndrome metabólica;
  • Melhora a estrutura do LDL;
  • Inibe o apetite;
  • Auxilia nos transtornos cerebrais.

Isso significa que ficou fácil emagrecer?

Realmente, a dieta cetogênica é uma ótima opção para quem quer queimar gordura e, consequentemente, emagrecer. Contudo, por ser muito restritiva, ela não deve ser feita por muito tempo.

Além disso, como tudo na vida, ela não tem só benefícios. Sua aplicação prolongada ou sem acompanhamento médico produz diversos efeitos colaterais, podendo sobrecarregar o fígado e os rins.

Outro problema da dieta cetogênica é que, por promover o emagrecimento rápido, sem o devido controle, a recuperação do peso ao final da etapa pode ser um alto risco. O fim da história você já conhece: efeito sanfona em nível máximo!

Outra situação é que o método estimula o consumo elevado de gordura saturada, oferecendo maior risco para o colesterol.

Portanto, por mais que esteja na moda, a dieta cetogênica não deve ser feita por conta própria. Apenas o acompanhamento médico e nutricional vai te dar possibilidades melhores de aproveitá-la – sem contar que o que é bom para uma pessoa pode não ser para outra, e apenas exames clínicos podem revelar essa realidade.

Então, se você deseja emagrecer através da dieta cetogênica, procure um nutrólogo para entender se esse método é o adequado às suas expectativas e, principalmente, à sua saúde. O nutrólogo avalia essa possibilidade de forma personalizada, levando em consideração o histórico de saúde do paciente, além de solicitar os exames necessários e outras informações que julgar necessárias.

 

O Instituto Instituto Ferreira Mattos está à disposição para que você faça seu tratamento nutricional com tranquilidade e segurança. Entre em contato com a gente e marque sua consulta!

Deixe uma resposta