O que é plant-based diet?

1446

A busca pela boa forma pode ter vários motivos: melhorar a disposição, controlar colesterol e pressão arterial, dar mais energia ou perder quilinhos extras.

Se você é adepto de uma vida mais saudável ou quer começar a fazer parte desse time, sabe que a alimentação é fundamental no processo. As dietas orientadas costumam ter um papel importante na rotina individual, favorecendo o organismo como um todo.

Meu objetivo nessa postagem é apresentar uma nova dieta que tem muito a oferecer para a sua saúde: a plant-based diet.

Em tradução livre esse termo significa “dieta à base de plantas”. Ela prioriza os vegetais na sua forma mais natural e corta itens nada saudáveis do esquema alimentar, como açúcares, processados e grãos refinados.

A ideia é usufruir ao máximo todas as partes do alimento, inclusive talos, folhas e cascas, de forma a aproveitar completamente os nutrientes. Assim, quase nada é jogado fora, evitando o desperdício e ajudando o orçamento doméstico.

Mas, afinal, o que eu posso comer na plant-based diet?

Essa dieta propõe refeições simples, de alto valor nutricional, mas defendendo a criatividade e sustentabilidade. Nela se utiliza tudo o que é natural, eliminando corantes, aromatizantes e temperos industrializados.

O objetivo é fazer pratos coloridos e ricos em todos os tipos de nutrientes, consumindo frutas, verduras, legumes, cereais integrais, leguminosas, sementes e oleaginosas.

Caso o nutrólogo sinta que a sua alimentação está com deficiência de proteína animal ele vai inserir nas refeições ingredientes como cogumelos, soja e tofu. Já o ferro pode ser consumido nas folhas verde-escuras.

Benefícios da dieta plant-based

Quem adota esse tipo de dieta para a sua vida colhe bons resultados. Ela melhora a saúde e o sistema imunológico, já que a grande variedade de alimentos contribui com o fornecimento de micronutrientes, fibras, antioxidantes e compostos bioativos.

A dieta plant-based também auxilia na prevenção de doenças crônicas, como as cardiovasculares, diabetes, obesidade, diabetes e alguns tipos de câncer.

Devido ao consumo maior de alimentos antioxidantes, responsáveis por combater os radicais livres, a plant-based é uma boa aposta para combater o declínio cognitivo, como o que ocorre no Mal de Alzheimer. Isso porque essa dieta age justamente na prevenção do envelhecimento celular.

Além disso, o novo método alimentar auxilia na perda de peso. Afinal, o indivíduo começa a ingerir uma quantidade maior de fibras, excluindo das refeições doces, biscoitos, refrigerantes e tudo o que facilita o ganho de gordura.

Contudo, mesmo com tantos benefícios, ainda existem dúvidas em relação à plant-based. Por exemplo: a maioria das pessoas confunde a plant-based com as dietas veganas e vegetarianas.

Embora sejam semelhantes em alguns pontos, elas não são a mesma coisa.

Vale lembrar que o veganismo elimina o consumo de qualquer produto de origem animal, sendo cortado da lista de alimentos não só as carnes, mas, também, laticínios, frutos do mar, ovos e mel.

Já os vegetarianos excluem de suas refeições todos os tipos de carnes, mas costumam comer laticínios e outros alimentos não permitidos na dieta vegana. No entanto, a plant-based diet é mais flexível, não sendo proibido nenhum tipo de alimento de origem animal.

Pode comer carne à vontade?

Como já foi dito, as carnes e demais produtos animais não são proibidos. Porém, o cardápio da dieta plant-base inclui principalmente os alimentos que crescem na terra e, de preferência, os orgânicos.

A preocupação dos adeptos desse conceito alimentar é ter proteína suficiente nas refeições. Vale lembrar que, quando feita de maneira correta, essa dieta é capaz de suprir todas as necessidades nutricionais do organismo.

Contudo, caso a pessoa queira, as carnes podem ser inseridas nas refeições, mas de forma moderada, já que a essência desse método são os vegetais.

Adotar uma alimentação baseada em vegetais pode trazer uma série de benefícios, dentre eles o emagrecimento. Mas, para que isso aconteça, você precisa ter em mente dois fatores importantes: a primeira é que a dieta por si só não faz milagres. Mudar certos hábitos, tais como evitar bebidas alcóolicas, ingerir muita água e praticar exercícios físicos ajuda a acelerar a perda de peso.

O outro aspecto tem total interferência não só no emagrecimento, mas, também, na saúde como um todo. A plant-based, assim como outras dietas, deve ser acompanhada por um médico nutrólogo. Afinal, fazer restrição alimentar por conta própria pode causar muitos problemas, levando, inclusive, a disfunções no organismo.

O Instituto Ferreira Mattos está à disposição para checar se a dieta plant-based é a mais indicada para você a partir de exames laboratoriais e clínicos, além de um bate papo para entender suas necessidades.

Se quiser, entre em contato com a gente e marque sua consulta!

Deixe uma resposta