O que são radicais livres?

1
286

Você se imagina sem respirar? A respiração é uma atividade involuntária e fundamental para a manutenção dos processos fisiológicos. Por outro lado, ela também está envolvida no processo de produção dos temidos radicais livres.

Quando produzidos em excesso, os radicais livres podem danificar o DNA, gerando prejuízo às células saudáveis do organismo.

Mas o que é, de fato, um radical livre? Como ele age no organismo? E o que eles têm a ver com um blog nutrólogo? ;p

Em sua maioria, os radicais livres são neutralizados por enzimas protetoras do sistema endógeno. Porém, alguns fatores exógenos são responsáveis por aumentar a produção de radicais livres, de forma que somente a ação das enzimas se torne insuficiente para combatê-los.

Podemos citar nessa listinha de “amigos dos radicais livres” o tabagismo, a poluição, a exposição a frequências eletromagnéticas e o consumo frequente de alimentos processados (especialmente conservas e embutidos), dentre tantos outros exemplos.

Portanto, a exposição a agressores externos ou o estilo de vida que a pessoa escolhe podem ocasionar o que chamamos de estresse oxidativo. Ele ocorre quando a produção desequilibrada de radicais livres passa a gerar dano celular ou tecidual.

A medicina associa esse efeito ao envelhecimento celular e ao surgimento de câncer, bem como de outras doenças inflamatórias e crônico-degenerativas, como artrite, Alzheimer e Parkinson entre outras.

Antioxidantes: aliados no combate aos radicais livres

Como vimos, hábitos ruins estão relacionados à maior produção de radicais livres. Da mesma maneira, uma vida mais saudável contribui para o seu controle, de forma que as enzimas produzidas pelo próprio corpo sejam capazes de neutralizá-los.

Eis, aí, a importância de uma alimentação balanceada e rica em antioxidantes.

Sempre que possível, opte por consumir frutas e vegetais orgânicos, uma vez que o uso de agrotóxicos reduz a presença de antioxidantes dos alimentos. Procure, também, utilizar temperos naturais no preparo de suas refeições, como alho, cebola e especiarias, como cúrcuma e açafrão, ao invés de temperos condimentados vendidos em tabletes. Eles podem temperar bem a comida, mas são compostos por conservantes extremamente danosos à saúde.

Além disso, inclua em sua dieta alimentos que podem ser considerados “destruidores” dos radicais livres, como milho, amêndoas, nozes, leguminosas, cereais, frutas cítricas e vegetais verde-escuros.

Certos minerais, como o Zinco, o Cobre e o Selênio contêm a voracidade dos radicais livres. O betacaroteno, assim como a vitamina E, são lipossolúveis, por isso atuam nas membranas da célula, impedindo a reação em cadeia da oxidação das gorduras solúveis.

A vitamina C por sua vez, fornece elétrons para os radicais livres. Uma vez estabilizadas, essas moléculas deixam de representar riscos para o organismo.

Radicais livres são fáceis de combater, mas é preciso ter paciência, disciplina e uma alimentação focada no cumprimento desse objetivo. Se sua vontade é equilibrar positivamente a balança, que tal contar com um nutrólogo para melhorar sua saúde como um todo? Sabendo as vantagens da dieta antioxidante, incorpore-a em seus hábitos alimentares e viva com mais disposição.

Agende sua consulta aqui no Instituto Ferreira Mattos para batermos um papo!

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here