O metabolismo depois dos 30 (e dos 40, e dos 50…)

0
99

“Quando tinha sua idade, eu era magrinho(a), depois engordei”. Em algum momento da vida você já ouviu essa frase de alguma pessoa com mais de 30 anos. Se você tem mais de 30, existem grandes chances de já ter falado isso para alguém. Será que faz sentido?

A medicina explica porquê emagrecer após a terceira década exige esforço maior.

Homens e mulheres sofrem os efeitos da queda da atividade metabólica a partir de certa idade. O metabolismo não tem um calendário para começar a desacelerar, mas, em geral, é a partir dessa idade que há tendência biológica para alterações hormonais. O declínio da testosterona e do GH, por exemplo, influenciam a redução dos percentuais de massa muscular.

Os músculos estão relacionados ao nosso consumo energético, pois o organismo demanda muita energia. Da mesma forma, a densidade óssea é afetada e pode desencadear um quadro de osteoporose. Isso porque os ossos são compostos por uma matriz na qual se depositam complexos minerais de cálcio.

Nesse processo, os osteoblastos são responsáveis por regenerar o esqueleto. Quando o metabolismo desacelera, a formação de novas células ósseas diminui.

No quesito emagrecimento, as mulheres podem enfrentar mais dificuldade para controlar o peso do que os homens. Para elas, alguns desequilíbrios hormonais, causados por gravidez, uso de contraceptivos ou mesmo a chegada da menopausa, agravam a situação.

Independentemente do seu sexo e da sua faixa etária, se você nota muita dificuldade para reduzir o número da balança, mesmo mantendo regularidade nas atividades físicas e adequando os hábitos alimentares, procure um nutrólogo. Essa especialidade médica está apta a realizar um exame de bioimpedância ou solicitar exames complementares para analisar o seu metabolismo e investigar possíveis disfunções hormonais que favorecem o ganho de peso.

Cheguei nos trinta, e agora?

Não há como parar o tempo, nem é possível evitar a ação do metabolismo.

Contudo, existem formas de estimular a atividade metabólica para manter o peso estável e postergar e/ou minimizar os efeitos do envelhecimento celular. Aqui vão minhas dicas de algumas delas:

Faça exercícios físicos regularmente: alternar treinos de força com aeróbicos é uma boa estratégia para queimar calorias e aumentar o metabolismo.

Durma bem: um sono de qualidade é muito importante para regular hormônios e impedir que o metabolismo desacelere ainda mais. A privação de sono, além de afetar sua disposição, interfere no ganho de massa e te faz sentir mais fome.

Atente-se aos hormônios: quando há desequilíbrio nas taxas hormonais, é possível contar com a ciência para não passar aperto. O uso de hormônios como a testosterona, por exemplo, ou de outros implantes hormonais, podem ajudar a minimizar os incômodos causados pelo avanço da idade.

Alimentação balanceada: evitar frituras, doces, alimentos processados e industrializados faz parte da estratégia de resumir o consumo calórico. Além disso, é fundamental estabelecer uma rotina alimentar fracionada para que você não fique períodos longos em jejum e acabe comendo em excesso na próxima refeição.

Seguir um plano alimentar sob supervisão de um profissional especializado vai te auxiliar a ajustar as calorias conforme seu estilo de vida sem deixar de considerar suas especificidades metabólicas

 

Se, ainda assim, você tem dificuldade para emagrecer, agende sua consulta no Instituto Ferreira Mattos. Como nutrólogo, vou analisar seus exames e sugerir um protocolo de acordo. Estou te esperando para um papo!

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here